fbpx

Testes de Usabilidade: entenda os porquês para aplicá-los

Boas práticas de UX design garantem produtos mais fáceis de usar e uma melhor experiência do usuário. Para avaliar e validar esses produtos durante o processo de criação fazemos testes de usabilidade.


Antes de saber os porquês de realizarmos testes de usabilidade precisamos entender o que esse conceito significa.  A usabilidade mostra a qualidade da experiência dos usuários no campo digital.

Usabilidade é facilitar, simplificar, melhorar, agilizar.

O usuário precisa conseguir ir exatamente onde deseja e encontrar as informações com facilidade. Para descobrirmos como está a experiência do usuário em sites e aplicativos são realizados os testes de usabilidade. Com eles conseguimos análises detalhadas dos níveis de interação e informações para mudar o que não está agradável.

Para melhorar a usabilidade de um produto ele deve ter uma linguagem clara, estruturas de links bem definidas, conteúdos bem escritos e objetivos.

Para que servem os testes de usabilidade?

Os testes de usabilidade servem para garantir que um produto funcione, mais que isso, que ele funcione bem. Os testes de usabilidade são realizados nas várias etapas da criação.  Nas etapas iniciais são realizados em protótipos para verificar se as primeiras ideias não são dragões impossíveis de domar. Os protótipos navegáveis também são usados para validar a navegação. O teste completo de um produto digital pode ser feitos no final do processo de criação para a realização de ajustes finos e pontuais.

O feedbacks dos usuários podem ser obtidos em qualquer etapa do projeto e existem muitas ferramentas e técnicas que ajudam a entender o que está bom e o que deve ser modificado.

Conheça alguns testes de usabilidade:

Ao realizar testes de usabilidade existem alguns meios que podem ser empregados como:

1 –  Card Sorting: aos usuários é pedido que agrupem conteúdos por categorias e funcionalidades.

2 –  Teste A/B: é apresentada suas versões de um mesmo produto, diferentes usuários testam e veem qual das versões tem o melhor resultado.

3 –  Eyetracking: análise do movimento do olho do usuário quando ele interage com o produto.

4 –  Análise de acessibilidade: observar se o produto pode ser usado por qualquer pessoa.

via GIPHY


Na aplicação dos testes NÃO se pode esquecer de:

Observar durante os teste toda a interação dos usuários com o produto.

Anotar todas as informações possíveis: tempo de interação e conclusão de tarefas, comentários dos usuários, problemas que apareceram.

Terminamos os testes de usabilidade, e agora?

É muito importante que as anotações obtidas nos testes sejam organizadas e transformadas num relatório. Esse relatório vai ajudar a pensar em como podem ser realizadas as modificações necessárias.

Os testes de usabilidade fazem parte de um contínuo processo, por isso, após realizar as modificações é importante reaplicar os testes e provavelmente realizar novas alterações.